loading

Construída por jesuítas, Aldeia de Carapicuíba remete ao passado histórico do país


O centro histórico da cidade de Carapicuíba atrai diversos visitantes interessados em conhecer melhor o passado e a cultura indígenas. O espaço abriga uma das doze aldeias fundadas pelo padre José de Anchieta, por volta de 1580, quando o religioso espanhol chegou a São Paulo.

Anchieta criou aldeias, em volta do Mosteiro de São Bento, com a finalidade de catequizar os índios e mantê-los protegidos da escravidão. Por conta de seu difícil acesso, a Aldeia de Carapicuíba – situada a 20 quilômetros do centro de São Paulo – é a única que não foi destruída dentre as doze concebidas pelo padre. Considera-se atualmente que a sua fundação oficial data de 12 de outubro de 1580.

Marcada pela presença de uma igreja, construção principal do espaço, a aldeia também serviu no passado como abrigo para índios de outros locais, que resistiam à violenta investida dos bandeirantes, liderados pelo português Antonio Raposo Tavares. Sendo assim, os índios guaianás, que foram os primeiros a habitá-la, ofereceram amparo a grupos de indígenas como os guarulhos e os tupis.

aldeia

Espaço cultural

Vinte casinhas feitas de pau a pique e pintadas de azul e branco cercam a Aldeia de Carapicuíba. Algumas casas são o lar de famílias que vivem no local há pelo menos 300 anos, enquanto outras foram utilizadas pela prefeitura da cidade para instalar a Secretaria Municipal de Cultura e a Biblioteca Municipal Sarabaquê, onde é possível encontrar livros didáticos e de literatura.

Localizada ao lado da igreja está a Casa de Cultura, que concentra imagens, esculturas e artefatos antigos que remetem à história da aldeia, como quadros e cartões postais. Por sua vez, a capela Comunidade Santa Catarina, cuja construção data de 1736, recebe padres de locais diversos para a realização de missas.

No meio das construções na aldeia, está o pátio central, onde ficam dispostos bancos para descanso, coqueiros e uma cruz direcionada para a capela Comunidade Santa Catarina.

Apesar de a cidade de Carapicuíba ter se expandido com o tempo e possuir hoje quase 400 mil habitantes, as pessoas que vivem na aldeia seguem passando sua moradia de geração para geração. O espaço permite o resgate de parte da história do Brasil, que envolve indígenas, jesuítas, bandeirantes e a chegada de missões religiosas ao país.

Tombada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), em 1940, a Aldeia de Carapicuíba é uma parada obrigatória para aqueles que desejam se aprofundar um pouco mais no passado histórico brasileiro.

Comments are disabled.