loading

acordo cioeste

Cioeste participa de fórum sobre desenvolvimento regional junto a países da América Latina e Caribe

O Cioeste (Consórcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana de São Paulo) participou na última semana do Fórum de Carbono da América Latina e do Caribe, principal conferência relacionada ao setor econômico e de mercados que privilegiam a baixa emissão de carbono na região.

Realizado entre os dias 18 e 20 de outubro na Cidade do México, o evento promoveu a conexão entre participantes interessados em negócios ligados aos cuidados com o clima e o meio ambiente.

Entre atores locais, regionais e internacionais dos setores público, privado e financeiro, o fórum latino-americano reuniu líderes políticos e intelectuais, assim como organizações, para compartilhar conhecimentos, abordar novas tendências de mercado e identificar oportunidades de negócios no cenário climático, que passa por um processo acelerado de mudanças.

A programação temática do evento inclui tópicos como finanças climáticas; preço do carbono; ações setoriais climáticas; e ações colaborativas e de liderança relacionadas à questão climática. Brasil, Argentina, México, Chile, Bolívia, Uruguai, Peru, Venezuela e diversos outros país da América Latina e do Caribe participaram do encontro.

A partir de sua participação no fórum, o Cioeste teve a chance de entrar em contato com outras instituições e atores sociais envolvidos com as questões climáticas e desenvolver novas parcerias para iniciativas de cooperação e fomento de negócios.

Neste ano, o evento foi co-organizado por instituições como Grupo Banco Mundial, Organização Latino-Americana de Energia (Olade), Associação Internacional de Comércio de Emissões (Ieta), Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnud) e Bando Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Cioeste estabelece apoio com a Embaixada do Brasil em Berlim, na Alemanha

A equipe do Cioeste (Consórcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana de São Paulo) foi recebida pela cioeste embaixada 2Embaixada do Brasil em Berlim, na Alemanha, nesta quarta-feira (3/05). A visita resultou na consolidação de um canal de apoio entre o consórcio e a delegação, com a finalidade de estimular o desenvolvimento econômico conjunto, além de possibilitar oportunidades de importação e exportação e atrair investimentos alemães para a região do consórcio.

O país europeu foi, em 2016, o quinto maior parceiro comercial do Brasil, ficando atrás apenas de China, Estados Unidos, Argentina e Países Baixos. Enquanto os principais artigos exportados pelo país latino-americano foram café, chá, mate e especiarias (que representaram 21,25% das exportações), os produtos alemães mais importados pelo Brasil foram caldeiras, máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (25,05% das importações).

Há mais de 1.600 empresas alemãs instaladas no Brasil. A estimativa é de que a sua contribuição para o PIB industrial brasileiro fique em torno de 10%. Estão presentes, apenas no Estado de São Paulo, mais de 800 subsidiárias de empresas da Alemanha, responsáveis pela geração de mais de 250 mil empregos diretos. Além disso, a capital paulista é considerada a maior cidade industrial alemã fora da Alemanha.

Uma das razões de o Brasil ser um país atraente para investidores estrangeiros está no fato de o país possuir um dos maiores mercados consumidores do mundo, com uma população de 206,08 milhões de habitantes, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2016. Nos últimos dez anos, houve a ascensão de 40 milhões de consumidores à classe média, fato que estimulou o crescimento em vários setores. O país é também a maior economia da América Latina.