águas de são pedro

Partindo de Santana de Parnaíba, “Caminho do Sol” percorre interior do estado

Nascido na Galileia, o pescador Tiago deixou tudo para trás para seguir os passos de Jesus Cristo, de acordo com os ensinamentos cristãos. Ele deu início, desta forma, a uma rota religiosa de 800 quilômetros que reúne milhares de peregrinos desde o remoto século nove – o Caminho de Santiago. O percurso atravessa o norte da Espanha, até a cidade de Santiago de Compostela, no noroeste do país.

Criada em 2002 pelo empresário José Palma, a versão paulista da famosa rota religiosa parte de Santana de Parnaíba e tem como destino Águas de São Pedro. Enquanto percorrem os 241 quilômetros que separam as duas cidades, as pessoas que se aventuram pelo Caminho do Sol, como o trajeto ficou conhecido, passam por Pirapora do Bom Jesus, Cabreúva, Itu, Salto, Elias Fausto, Capivari, Mombuca, Arapongas, Piracicaba e Artemis.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

José Palma teve a ideia de criar o caminho depois de realizar a peregrinação na Espanha, há mais de 20 anos. A iniciativa nasceu com o objetivo de proporcionar a caminhantes um ambiente agradável e tranquilo, cercado por áreas rurais, que oferecesse aos peregrinos a possibilidade de vivenciar uma experiência introspectiva e de libertação da materialidade.

Fazendas históricas, plantações e centros urbanos fazem parte do Caminho do Sol, que é realizado em 11 dias por quem o percorre a pé. Já aqueles que escolhem atravessar a rota de bicicleta levam entre três e quatro dias para chegar a seu destino, passando por terrenos com altitudes que variam entre 473 e 845 metros. Com motivação que pode ser tanto esportiva quanto espiritual, os peregrinos atravessam caminhos que possibilitam ainda uma imersão na cultura caipira.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

A rota não exige grande preparação física, mas uma boa dose de força de vontade é imprescindível. Para quem faz o trajeto a pé, a caminhada diária é de 24 quilômetros, distância que pode ser percorrida em um intervalo aproximado de 6h30 a 14h. O percurso passa por estradas asfaltadas, de terra e entre canaviais.

Para descansar e recuperar as energias, os caminhantes ou ciclistas encontram pousadas ao longo do caminho, que oferecem almoço, jantar, pernoite e café da manhã.

Padroeiro de Águas de São Pedro

A data de fundação da cidade de Águas de São Pedro coincide com o dia do Apóstolo Santiago (dia 25 de julho). Por conta disso – e também em razão das características topográficas e da qualidade de vida na cidade -, em dezembro de 2001, foi lançada a pedra fundamental da Casa de Santiago, local onde termina o Caminho do Sol.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

A Casa de Santiago é atualmente o abrigo da imagem espanhola de São Tiago, que foi entregue a peregrinos em 25 de julho de 2002. No ano seguinte, o Bispo Don Moacyr Vitti assinou um decreto promulgando Santiago o Padroeiro de Águas de São Pedro. Até aquele momento, a cidade não possuía um padroeiro oficial.

Para viver a experiência de percorrer o Caminho do Sol, caminhantes realizam um investimento de R$ $202,80 e ciclistas, de R$ 155,80. A quantia inclui passaporte, porta-passaporte, gargantilha de madeira e seguro para acidentes pessoais. Além disso, antes de se aventurarem no percurso, os peregrinos devem participar de uma palestra orientativa, a fim de tomarem conhecimento a respeito das características e restrições da rota.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Saiba mais sobre o calendário de saídas para o percurso, assim como a respeito das palestras orientativas, acessando o site oficial do Caminho do Sol.