loading

caminho do sol

Cioeste realiza parceria com São Paulo Convention & Visitors Bureau

O presidente do Cioeste (Consórcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana de São Paulo) e prefeito do município de Santana de Parnaíba, Elvis Cezar, assinou nesta quarta-feira (06/09) um convênio com a entidade sem fins lucrativos São Paulo Convention & Visitors Bureau.

A finalidade da parceria é estimular o mercado de bens de consumo e as atividades turísticas na Região Oeste de São Paulo, onde estão localizados os municípios que compõem o consórcio (Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Santana de Parnaíba).

A entidade apoia os seus associados – são mais de 750, que integram segmentos diversos do setor turístico paulista – na melhoria de serviços e atendimento a visitantes, que vão às cidades a negócios ou lazer. A ideia é movimentar o setor de turismo local a partir do aumento no fluxo destes visitantes e de seu tempo de estada.

Acordo foi assinado na última quarta-feira (6/09).

Acordo foi assinado na última quarta-feira (6/09).

Com expressivo potencial econômico, a região do Cioeste apresenta possibilidades diversas para o estabelecimento de novos negócios e parcerias; por isso, atrai pessoas interessados em explorar os setores industrial e econômico regionais, que se encontram em expansão. Exemplo disso foi o sucesso da feira para fomento de negócios realizada na região no mês de julho, que reuniu mais de 400 expositores de segmentos diversos.

Há ainda as atrações turísticas locais que se destacam e chamam a atenção de visitantes não só de diferentes partes do Estado, como também do país. Este é o caso do Templo Zu Lai, no município de Cotia; da histórica Aldeia de Carapicuíba, que permite uma imersão no passado e na cultura indígenas; das festividades religiosas no município de Pirapora do Bom Jesus; da tradição da viola, em Osasco; da variedade de comércio presente em Barueri, assim como das diferentes opções gastronômicas disponíveis na cidade; da rota para peregrinos batizada como Caminho do Sol, em Santana de Parnaíba; e, ainda quanto à gastronomia, das diferentes ofertas de restaurantes que há em Cotia, na região da Granja Viana.

Partindo de Santana de Parnaíba, “Caminho do Sol” percorre interior do estado

Nascido na Galileia, o pescador Tiago deixou tudo para trás para seguir os passos de Jesus Cristo, de acordo com os ensinamentos cristãos. Ele deu início, desta forma, a uma rota religiosa de 800 quilômetros que reúne milhares de peregrinos desde o remoto século nove – o Caminho de Santiago. O percurso atravessa o norte da Espanha, até a cidade de Santiago de Compostela, no noroeste do país.

Criada em 2002 pelo empresário José Palma, a versão paulista da famosa rota religiosa parte de Santana de Parnaíba e tem como destino Águas de São Pedro. Enquanto percorrem os 241 quilômetros que separam as duas cidades, as pessoas que se aventuram pelo Caminho do Sol, como o trajeto ficou conhecido, passam por Pirapora do Bom Jesus, Cabreúva, Itu, Salto, Elias Fausto, Capivari, Mombuca, Arapongas, Piracicaba e Artemis.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

José Palma teve a ideia de criar o caminho depois de realizar a peregrinação na Espanha, há mais de 20 anos. A iniciativa nasceu com o objetivo de proporcionar a caminhantes um ambiente agradável e tranquilo, cercado por áreas rurais, que oferecesse aos peregrinos a possibilidade de vivenciar uma experiência introspectiva e de libertação da materialidade.

Fazendas históricas, plantações e centros urbanos fazem parte do Caminho do Sol, que é realizado em 11 dias por quem o percorre a pé. Já aqueles que escolhem atravessar a rota de bicicleta levam entre três e quatro dias para chegar a seu destino, passando por terrenos com altitudes que variam entre 473 e 845 metros. Com motivação que pode ser tanto esportiva quanto espiritual, os peregrinos atravessam caminhos que possibilitam ainda uma imersão na cultura caipira.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

A rota não exige grande preparação física, mas uma boa dose de força de vontade é imprescindível. Para quem faz o trajeto a pé, a caminhada diária é de 24 quilômetros, distância que pode ser percorrida em um intervalo aproximado de 6h30 a 14h. O percurso passa por estradas asfaltadas, de terra e entre canaviais.

Para descansar e recuperar as energias, os caminhantes ou ciclistas encontram pousadas ao longo do caminho, que oferecem almoço, jantar, pernoite e café da manhã.

Padroeiro de Águas de São Pedro

A data de fundação da cidade de Águas de São Pedro coincide com o dia do Apóstolo Santiago (dia 25 de julho). Por conta disso – e também em razão das características topográficas e da qualidade de vida na cidade -, em dezembro de 2001, foi lançada a pedra fundamental da Casa de Santiago, local onde termina o Caminho do Sol.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

A Casa de Santiago é atualmente o abrigo da imagem espanhola de São Tiago, que foi entregue a peregrinos em 25 de julho de 2002. No ano seguinte, o Bispo Don Moacyr Vitti assinou um decreto promulgando Santiago o Padroeiro de Águas de São Pedro. Até aquele momento, a cidade não possuía um padroeiro oficial.

Para viver a experiência de percorrer o Caminho do Sol, caminhantes realizam um investimento de R$ $202,80 e ciclistas, de R$ 155,80. A quantia inclui passaporte, porta-passaporte, gargantilha de madeira e seguro para acidentes pessoais. Além disso, antes de se aventurarem no percurso, os peregrinos devem participar de uma palestra orientativa, a fim de tomarem conhecimento a respeito das características e restrições da rota.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Saiba mais sobre o calendário de saídas para o percurso, assim como a respeito das palestras orientativas, acessando o site oficial do Caminho do Sol.